19 de janeiro de 2007

Controle alternativo da tiririca (Cyperus rotundus L.)



Tiririca é aquela praga conhecida e odiada, invasora de hortas, jardins, pomares que às vezes os torna impróprios para qualquer cultura.

Depois dessa introdução desmoralizadora vamos aos fatos: O meio mais eficaz para destruir uma praga qualquer é transformá-la em coisa útil ou então nela descobrir e divulgar o que quer que seja que o povo possa considerar útil. Assim como os Jesuítas ensinaram os índios a comerem tanajuras (ou iças) torradas alegando que as mesmas eram ótimas para saúde, vamos aqui explanar uma técnica de controle da tiririca e algumas utilidades da mesma.

1 - Técnica de controle:
1.1 - Junte 1 kg das folhas e ramos picados das seguintes espécies abaixo por m2 de área infestada:
- Hibiscus rosa-sinesis L. (Hibisco);
- Rosa grandiflora (roseira-grandiflora);
- Peperomia clusiaefolia (Peperonia-tricolor);
- Caesalpinia peltophoroides (Sibipiruna);

Misture tudo em um monte e espalhe pela área infestada (em uma camada de 10cm +ou-). Esse material deve permanecer no solo de 6 a 9 meses. O efeito alopático dessa mistura destrói as batatinhas da tiririca e suas raízes garantindo o controle da tiririca na área por um bom tempo.

1.2 - A tiririca em excesso em uma área indica solos ácidos, adensados, anaeróbicos, com carência de Mg. Com a correção do pH do solo e uso de técnicas para torná-lo mais grumoso o excesso de tiririca diminui enormemente.

2 - Utilidades da tiririca:
2.1 - Alimentos para patos ou gansos:
se você der pouco milho e ração para eles e colocá-los em uma área infestada de tiririca eles naturalmente vão arrancar os tubérculos da tiririca da terra e se fartarem com eles. Se a área não for de grande infestação, essa é uma boa medida.

2.2 - Hormônio Enraizador para Estaquia:
A tiririca concentram quantidades elevadas de ácido indolbutírico, um fitormônio específico para formação das raízes das plantas. Vamos usá-lo ao nosso favor fazendo um preparado para melhorar o enraizamento das nossas estacas.

Receita 1:
Colha um maço de tiririca, com a batata, e bata no liquidificador com água. Depois de pronto, basta colocar as estacas de molho nesse suco por 1 dia e plantar.

Receita 2:
1kg de tiririca com a batatinha e folhas; 250ml de álcool de cereais; 1l de água.
Moer ou macerar bem a tiririca (batatinha e folhas) e colocar na água durante 48 horas, em seguida, coar e colocar no álcool.
Para usar: coloque a estaca até a metade nesse liquido durante uns 2 minutos.
Esse preparado pode ser guardado em local fresco e ao abrigo da luz por até 30 dias.

2.3 - Na alimentação humana:
Muitos se espantam com o uso da tiririca na alimentação humana. Mas o fato é que,
em outros pais (Espanha, países da África, México, etc) é muito comum seu uso para fazer refrescos, pastas, azeite (muito apreciado) entre outras coisas.
Existem registro que a tiririca já era usada na alimentação humana a mais de 4.000 anos no Egito. Então, vamos as receitas:

Pasta de tiririca:
Colher dois maços da batatinha da tiririca. Descascá-las e corta-las bem fininho e acrescentar manjericão. Bater tudo com um fio de óleo e uma pitada de sal no liquidificador. Pronto, agora é só abrir a cerveja e passar essa pasta nas torradinhas. Cuidado com essa receita, dizem que é afrodisíaca.
Vinho fortificante:
Um maço de tiririca. Separe as folhas da batatinha e lave-as bem. Corte cada batatinha em 3 e coloque dentro de uma garrafa de vinho (comum ou do Porto). Deixe curtir por uma semana e já
pode ser usado.

Orchata:
Orchata é uma bebida refrescante muito popular na região e Valência na Espanha.
É feita com a variedade Cyperus esculentus, um melhoramento da nossa amiga tiririca conhecida como tiriricão. Ela é maior que a tiririca comum e tem suas sementes douradas/amarelas, o ápice das folhas são pontudos, suas as batatinhas são mais doces e sem "pelos".

Modo de fazer: Põe-se de molho as batatinhas da tiririca durante algumas horas na água. Eles enchem e amolecem; Num pilão tornam-se numa massa feita uma papa. Acrescente-se um pouco de água morna e agite-se formando com o óleo que contém uma emulsão que logo é tamisada e separada por filtragem a suspensão coloidal. Essa emulsão é então acrescida de açúcar e perfumada com canela. A orchata assim obtida é bebida fresca ou gelada em sorvetes.

Alem dessas receitas você pode cortar a batatinha em rodelas fininhas e assar ou torrar e servir como tira-gosto.


Fonte:
- Revista CHÁCARAS E QUINTAIS, 15 de fevereiro de 1945, Vol.71, pág. 203-205;
- Emater-MG;
- Experimentação própria.




21 comentários:

EcoDea disse...

Olá, Neco, td bom? Aprendi uma receitinha de "repelente de formigas" q achei q vc fosse gostar (se já souber, desconsidere!!). É o seguinte, plantei 2 pés de acerola no meu jardim e os coitados mal conseguiam crescer devido às formigas (meu terreno é cheio de formigueiros!!). Então uma amiga minha agrônoma me deu a seguinte dica: pegar terra de um formigueiro diferente e colocar em volta das aceroleiras, pois as formigas não invadem o território de outras formigas. Achei muito legal! Abraços,

EcoDea disse...

Ah, e funcionou mesmo!!

Neide Rigo disse...

Oi, Neco,
muito legal também seu blog. Eu colhi muita tiririca em Gonçalves-MG. Pretendia fazer a orchata, mas fui pesquisar mais e vi que era outra variedade que eles usam - a de pendão amarelo. De qualquer forma, colhi as batatinhas, achei-as com sabor de cúrcuma e acabei não fazendo. Será que temos aqui esta variedade própria? Estou a procurar. Obrigada pela visita ao meu blog. come-se.blogpot.com (neide.rigo@gmail.com)

Joâo Pedro disse...

oi neco,

sobre atiririca

Aqui no Rio, na Escola de Saude Pública da Fundação Internacinal Oswaldo Cruz, estamos cheios de tiririca e felizes por isso. POrque a utilizamos no SUCO DA LUZ DO SOL, rica em clorifila e numa variedade grande de nutrientes, um sabor neutro, e faz a gente se sentir mais conectado com a terra.

Neide Rigo disse...

Oi, Neco, postei uma coisinha, incluindo seu comentário, sobre a tiririca lá no come-se. come-se.blogspot.com.
Um abraço,N

alexandre e alana disse...

vou testar esta receita.

antonio disse...

Oi Neco.
Essa notícia da tiririca é muito interessante.
Você sabe onde conseguir sementes/mudas dessa tiririca da Espanha ( titiricão).
Até mais.
Antonio
afmdias@gmail.com

Neco Torquato Villela disse...

Fala Antonio, infelizmente não sei onde vc pode encontrar.

Inté!

elina disse...

Olá, sempre que procuro algo em agroecologia, acabo achando o seu blog.
Obrigada já aprendi muito contigo.

Neco Torquato Villela disse...

Oi Eliana,

Que bom que vc me encontra!!!

Carlos Cotta disse...

Fala mineiro. Espero que seja cruzeirense.
Sou mineiro, mas moro em Maringá no Paraná.
Achei legal seu artigo sobre a tiririca.
REsolvi pesquisar alguma coisa, tinha uma intuição de que como ela aparece em todos os lugares, deveria haver alguma utilidade para ela, além de sempre estar bonita, bem verde, excesso de clorofila.
Valeu.
Parabéns.
Meu blog é - carloscotta.blogspot.com
Carlos Alberto Cotta
Maringá - PR

Neco Torquato Villela disse...

Olá Cruzeirense,

Estou no mesmo barco que vc, q quase afundou esse ano, hehehe... Sorte que no último jogo o galo deu uma força!

Gostei do seu blog! Parabéns! Também curto história, porém meu foco é a história da minha região e de meus antepassados.

Q bom que gostou do post! Estou a fazer uma experiência com a tiririca aqui em casa. Plantei algumas sementes de tiriricão, conhecida com tiririca amarela, em um canteiro bem preparado. Pretendo ver se consigo alguns rizomas maiores para fazer orchata. Vamos ver o q vai dar!

Inté!

Anônimo disse...

Ola Neco, achei muito interessante a receita numero dois da tiririca para enraizamento,mas ficou uma dúvida,se misturo o álcool com a aguá ou com a tiririca que foi coada?

Dalva

Neco Torquato Villela disse...

Oi Dalva,

Vc deve fazer a maceração em água, depois coar, e só então essa água misturar a água da maceração com o alcool.

Inté!

sandra disse...

Oi Neco,

gostaria de saber se aquela receita de folhas com efeito alelopático sobre a tiririca pode prejudicar a germinação/desenvolvimento de hortaliças. Queria poder usar na horta em produção...

Neco Torquato Villela disse...

Olá Sandra,

Testei essa técnica em 2006 em uma área onde foi plantado posteriormente um gramado. A grama cresceu normalmente. Já qto a hortaliças, é uma boa oportunidade para testar.
Experimente fazer em uma pequena área e depois plantar as hortaliças e veja o resultado. Se for positivo ou negativo, gostaria de saber também!

Inté!

Paulo Cesar Carmo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

gostaria de saber se a tiririca é bom para DI
abetes obrigada lú

Neco Torquato Villela disse...

Oi Lu,

Infelizmente não sei nada a respeito de usar a tiririca para tratar diabetes.

Fico te devendo!
Inté!

Martin disse...

Muito obrigado pela informação, porque eu tenho um quintal muito grande e não controlá-lo. Eu vou fazer o que você disse, enquanto aguardava o delivery jardins para a noite. Beijos

Neco Torquato Villela disse...

Olá Martin,

Q bom q gostou!

Inté!