14 de abril de 2017

Coleta e Multiplicação de Microrganismos Eficazes (EM) - Parte 2

Vídeo complementar, parte 2, do artigo Microrganismos Eficazes deste blog.

Nos vídeos, demonstro adaptações feitas no item Como Produzir do artigo acima, resultado de dicas de alguns leitores, muitas pesquisas e experimentações.

Vídeo parte 2:


Vídeo parte 1: clique aqui
Vídeo parte 3: em produção.

14 comentários:

Erick disse...

Olá, boa noite. Acompanho suas postagens sobre EM e Bokashi. Parabéns pelo blog! Vou preparar meu bokashi e gostaria de saber se casca de café, pode ser substituída pela borra de café. Obrigado

Neco Torquato Villela disse...

Olá Erick,

Grato pela força!

A casca ou palha de café pode ser substituída por outra fonte de fibra como casca de feijão, fibra de coco, bagaço de cana ou mesmo coco babaçu... tudo bem seco e triturado (não em pó).

O pó de café poderia entrar no lugar da torta de mamona, pois é fonte de nitrogênio, dentre outros elementos. Mas eu não sei te dizer em que quantidade.

Boa sorte e até!

Unknown disse...

Bom dia! Primeiramente parabéns pelo ótimo trabalho, sou iniciante na agricultura urbana e também estou aqui no sul de minas!

No próximo vídeo voce vai ensinar a usar os microorganismos?

Neco Torquato Villela disse...

Olá amigo,

Somos vizinhos então?! Que bom!

Sim, pretendo dar dicas de como usar também.

Inté e obrigado pela força!

Erick disse...

Olá, Neco, obrigado pelas orientações!!! Estou de volta com uma dúvida sobre o uso do EM (ou EM-4).

Algumas literaturas, orientam apenas para diluir o EM (1:500 ou 1:1000) em água e aplicar no solo. Você sugere ativá-lo, acrescentando melaço ou rapadura. É realmente necessário ativá-lo ou funciona do mesmo jeito? Será que ao entrar em contato com a matéria orgânica no solo ele também não se ativaria por si só?

Abraços
Erick

Neco Torquato Villela disse...

Olá Erick,

Vc acrescenta o melaço/rapadura/açúcar mascavo para dar um impulso na reprodução do EM, para que não falte nutrientes para ele se desenvolver, antes de entrar em contato com o solo/material orgânico. Assim ele entra com força total no solo e consegue se reproduzir mais facilmente, comparado a aplicação sem ativação. Sem ativação ele também irá conseguir se reproduzir e consumir o material orgânico do solo, porém irá demorar mais para vc começar a ver os resultados.

Algumas literaturas falam do EM comercial. Neste, a quantidade de microrganismos é muito grande e selecionada, de maneira a, muitas vezes, não precisar ativar também. Como nosso processo é "artesanal", muitas vezes (mas nem todas, como explico abaixo) precisamos ativar o EM antes de aplicar.

No vídeo deste post eu digo que, depois de filtrado/coado, vc já pode usar o EM, pois ele já está pronto para usar, não precisa ativar, pois ele ainda tem uma reserva de carboidrato (açucares), suficientes para ele ser usado por até 1 mês ou mais. Ou seja, ele já está ativo(ativado).

Abraços e até!

Anônimo disse...

Bom dia, quero trabalhar com EMs na minha agricultura convencional (soja/milho/trigo, 12 ha),
já pratiquei agricultura orgânica 10 anos, porém não consegui dar prosseguimentos devido certas circunstâncias. Devido o uso dos agrotóxicos nas culturas mencionadas, qual o período de carência apartir do uso do agrotoxico no solo/planta e uso de EMs neste local, para que haja um bom funcionamento?

Neco Torquato Villela disse...

Olá Anônimo,

Vou ficar lhe devendo uma resposta exata, pois não conheço nenhum trabalho, seja ele científico ou não, descrevendo o uso de agrotóxico com microrganismos (EM).

O que posso lhe dizer, do que sei, é que o EM demora um pouco para se estabelecer no solo. Tem que ser um uso contínuo, além de condições de umidade e material orgânico para se desenvolver bem e gerar benefícios.

Na realidade, o uso do EM é parte de todo um manejo agro-ecológico, que gera, junto com adubação orgânica e um solo estruturado (gordo, como falamos aqui), um ambiente propício para o desenvolvimento das plantas.

Se vc usa agrotóxico para combater fungos/bactérias, que são os principais microrganismos do EM, vc acaba matando-os também, impedido assim que eles se estabeleçam no solo (ou nas plantas).

Agora, é possível usar o EM juntamente com adubação química. Para isto, faça o bokashi e acrescente a fórmula os adubos que vc precisa usar, para que o EM faça a fermentação dos mesmos, tudo junto. Depois é só aplicar. Desta maneira, vc garante uma melhor absorção do adubo, já que o EM irá fazer uma 'pré-digestão' (fermentação) do mesmo.

Boa sorte e inté!

Salomão Oliveira disse...

Grato mais vez.Creio do seu conhecimento de Chris Trump,grande defundidor da agricultura natural coreana,da minha parte por não dominar o inglês,e à tradução do youtube é confusa,não confiável.Peço sua ajuda por lhe devotar grande capacidade no assunto,e suponho fluente na língua inglesa.Pois vejo ele fazer coisas que ainda não nos são claras.Aguardo sua breve resposta.

Neco Torquato Villela disse...

Olá Salomão,

Não conheço o trabalho de Chris Trump, mas... acabo de procurar alguns vídeos dele no Youtube e vejo que este, realmente, tem muito conteúdo bom para ser estudado e aprendido por nós!

Abraço!

Jairo Augusto Raizi disse...

Bom dia Sr. Neco, o EMs poderá ser usado também nas pias de lavar louças para efeito de descontaminar também os ralos e encanamentos que vai até a caixa de gorduras e fossas sépticas?, uma vez que os EMs tira so mau cheiros de fossas, conforme comentários já vistos.

Neco Torquato Villela disse...

Olá Jairo,

Sei que as várias marcas de EM comercializados em outros países têm também esta finalidade. Já este que ensino no vídeo, não sei lhe dizer ao certo, mas... vale a pena testar para ver se ele consegue degradar os resíduos da caixa de gordura.

Até e boa sorte!

Novos Saberes Reversa disse...

Boa noite,

Conseguimos produzir em escala para tratar lixo orgânico domiciliar, e em relação ao tempo da compostagem normal conseguimos reduzir quanto tempo?

Neco Torquato Villela disse...

Olá,

Com o uso de EM vc, certamente, conseguira diminuir o tempo de compostagem. Mas, existem outros fatores que podem influenciar também, como a temperatura, umidade, tipo de material compostado. O que vale é experiência para chegar em um número aproximado de dias reduzidos na sua região.

Inté!