26 de novembro de 2008

Célula de Germinação

Um modo fácil de plantar e transplantar.

Produto comercial


Comprei recentemente, via Internet, um produto que me agradou muito chamado Jiffy Pellets. São pequenas células de turfa natural compactada que permitem germinar sementes de uma maneira fácil além de proporcionar um transplante sem perturbar ou incomodar as raízes, pois planta-se a célula com a muda, tudo junto. Gostei tanto que resolvi tentar algo parecido, com a mesma praticidade para plantar e transplantar. Após muita pesquisa e testes incansáveis cheguei ao que chamo de célula de germinação.


1 - Materiais Necessários

Para fazer de 30 a 36 células de germinação aproximadamente, com +ou- 8 cm de altura e 1 ½ polegadas de diâmetro, você precisa de:

1.1) 2 Kg de substrato rico em matéria orgânica.
1.2) 1 envelope de gelatina em pó sem sabor de 11g (no caso da foto, já diluído);
1.3) um pedaço de cano de PVC 1 ½ ou de 2 polegadas de aproximadamente 6 cm de comprimento (esses valores podem variar de acordo com o tamanho que você deseja a célula final), ou algo que poça substituir com uma lata de massa de tomate pequena sem as tampas superior e inferior;
1.4) pedaço de madeira do diâmetro do interior do pedaço de cano ou algo que possa ser encaixe perfeitamente ao diâmetro interno do cano e que sirva para prensar o substrato. Esse da foto foi feito por meu amigo marceneiro Flavinho;
1.5) algo para fazer um pequeno furo nas células prontas, onde se depositarão as sementes (nesse caso, um pincel);
1.6) as sementes a serem plantas.

Matérias necessários

2 - Procedimentos

2.1 - esterilize o substrato colocando 1kg em uma vasilha alta coberta com filme plástico. Leve ao microondas por 90 segundos na potência máxima;
2.2 - siga as instruções do rótulo para dissolver e preparar todo o conteúdo do envelope da gelatina;
2.3 – acrescente 250 ml de água à gelatina preparada;
2.4 - coloque o substrato em um balde;
2.5 - vá jogando a gelatina dissolvida aos pouco por cima do substrato e misturando com as mãos. O ponto da mistura é quando você conseguir fazer uma bolinha do substrato úmido com as mãos e ver que ela está bem firme sem se desfazer facilmente. Para chegar a esse ponto, talvez não seja necessário usar toda a água.
2.6 - vá enchendo o cilindro de PVC com o substrato umedecido e, depois de cheio até a boca. Apóie o cilindro de PVC em uma superfície dura. Coloque o pedaço de madeira na parte superior de cilindro de PVC e prense forte até compactar bem o substrato (foto abaixo).
2.7 - retire suavemente a célula de germinação pronta baixo do cilindro.
2.8 - com a ponta do pincel, de um lápis ou outra ferramenta qualquer, faça um pequeno furo no centro da célula de germinação.
2.9 - coloque a semente no furo e cubra com um pouco de vermiculita ou mesmo substrato seco. Não precisa molhar pois a umidade natural da célula já e suficiente para a germinação das sementes.
2.10 - coloque a célula de germinação em uma estufa, que pode ser uma caixa de plástico transparente, uma queijeira ou outro artefato que deixa a claridade entrar e não deixe a umidade sair.

Enchendo o PVC e prensando

Célula pronta


Pronto, agora é só colocar a sua estufa improvisada em um local que receba luz indireta durante o dia e aguardar a germinação da suas sementes e transplanta-la quando estiver pronta.

Células nas “estufas”


Semente germinada

3 - Dicas:

3.1 – Já usei 4 tipos de substratos que deram certo:
A - 75% de composto orgânico bem curtido + 25% de húmus de minhoca;
B - 75% de composto orgânico bem curtido + 22% de húmus de minhoca + 3% de torta de Nim;
C – 60% de composto orgânico bem curtido + 30% de húmus de minhoca + 10% de casca de arroz carbonizada;
D – Composto orgânico comercial: misturando para cada 10Kg de composto orgânico, 250 grs de farinha de osso e 300 grs de cinza de madeira. Deixe curtir por uma semana e depois use.


3.2 – Cheguei a acrescentar, com grande sucesso, ao substrato esterilizado um fungo chamado Trichoderma. Ele evitar o aparecimento de fungos patogênicos como Fusarium spp, Phytium spp, Rhizoctonia solani, Sclerotium rolfssi, etc. Esses fungos patogênicos provocam tombamento das mudas (damping off) e outros prejuízos;


3.3 – Hoje em dia uso o substrato "D", descrito no 3.1 acima, com Kenki Bokashi que me dá as mesmas vantagens do uso do Trichoderma;


3.4 - Se for usar Trichoderma ou o Kenki Bokashi faça o procedimento descrito no ítem 2.1 acima antes de mistura-los ao composto, pois o mesmo elimina todos os microorganismos benéficos que foram adicionados.

4 - Fontes:

- Substratos e Viveiros – Maciel, Milton – Ed. SoloVivo – Série Auto-Suficiência – 1998
- How do I clone in peat pellets? www.420magazine.com
- Testes incansáveis :)

27 comentários:

eduengler disse...

Cara
excelentes artigos
todos eles
posso linkar seu blog lá no meu?
abraços

Neco Torquato disse...

Obrigado Edu!!!
Fique à vontade para linkar, ok!?
[]s

Neide Rigo disse...

Neco,
sensacional a dica. Um dia vou tentar fazer. As ararutas estão brotando. Um abraço, N

Neco Torquato disse...

Olá Neide, obrigado pela visita. Fico feliz q as ararutas estão "vivas" :).
Seu blog é sem comentários, um dia ainda chego lá!
[]s e Inté!

Francine Lima disse...

Olá! Você ainda escreve neste blog?
Sou jornalista e procuro dicas sobre horta para uma materinha. Como posso falar com você? Você me acha no flima@edglobo.com.br
Valeu!
Francine

Francine Lima disse...

Olá! Você ainda escreve neste blog?
Sou jornalista e procuro dicas sobre horta para uma materinha. Como posso falar com você? Você me acha no flima@edglobo.com.br
Valeu!
Francine

Neco Torquato disse...

Oi Francine,
Escrevo sim, só que minhas "matérias" são semestrais :). Estou para publicar uma agora na semana santa.

[]s e inté!

Fabio disse...

Muito bom, vou tentar.

Show de bola este blog hein.

Neco Torquato Villela disse...

Valeu Fabio,

Se tiver alguma dúvida, me pergunte, ok?

Inté!

Magic Blend disse...

Oi Neco!
Estou preparando o EM-4 em viveiro pra não ficar muito molhado c/ a chuva. Farei tb as células de germinação. Meu vizinho me mostrou um olocal c/ muitos pés de araruta. Trouve 40 e transplantei, pois os tubérculos estão mto pequenos. Que cuidados devo tomar?
Em tempo. Deixei de ser soror lu porque é um mnome q uso no grupo da Rosacrujz e preferi separar as coisas.
Obrigada,
Sophia

Neco Torquato Villela disse...

Oi Sophia (Soror Lou),

Q bom q vc esta usando algumas das minhas dicas. Fico feliz!
As ararutas vc planta os tuberculos pequenos que estejam com as pontas verdes, e deixa crescer, elas quase não sobre com pragas. Basta capinar umas duas vezes e esperar a parte aérea murchar (lá para junho/julho do ano que vem).
O único problema q eu tive no cultivo foi com um pouco de nematóides, mais nada alem do normal.
Qto a minha produção, esse ano ainda não murcharam, por isso ainda não colhi

Qqr dúvida, estou a disposição, ok?!
Inté!

Leite da Terra disse...

Li muitos post do seu blog.
Parabens.
É por estas e por outras que eu tenho orgulho em ser Brazuca....Um abraço
Márcia

Neco Torquato Villela disse...

Oi Márcia

Obrigado pelos elogios!!!
É por isso q a gente trabalha!!!

Inté!

Lenim Ivanovitch disse...

Olá amigo! Achei esse artigo muito interessante, mas tenho uma dúvida: a gelatina
(pura proteina) não vai propiciar o aparecimento de microorganismos patogenicos (fungos e bacterias nocivos)de forma anormal... especialmente se for usado em estufa??? sei que a torta de neem da uma amenizada, mas creio que não resolve totalmente o problema.

Neco Torquato Villela disse...

Olá Lenim,

A esterilização do substrato é justamente para minimizar este problema. Tenho usa dessa maneira já a mais de um ano e nunca tive problema com infecção.

Inté!

Anônimo disse...

Olá Neco,
Só hoje descobri essa sua "invenção".
Eu já estava quase comprando as celulas comerciais, mas agora vou tentar fazer essas.
Será que daria certo usar 50% de terra vegetal e 50% de fibra de casca de côco?
E, não há mesmo necessidade molhar as celulas depois de semeadas?
Algumas sementes demoram muito para germinar...
Como posso me comunicar com voce?

Abraços

Paulo
(p.robcor@gmail.com)

Neco Torquato Villela disse...

Olá Paulo,

No caso desse sua mistura, cabe experimentar. As misturas que eu sugiro foram todas experimentadas antes, cheguei a fazer algumas q não deram certo também. Tente! Se der certo me conte para poder colocar aqui no blog, certo!?

Qto a molhar as células, nesse calor que anda fazendo (aqui tá chegando facinho aos 35oC), se você colocar em uma estufa, tipo um tapawer, com um copo de água dentro, não precisa molhar não, a propria umidade interna alimenta o sistema!

Inté!

Anônimo disse...

Olá colega, como vai parabéns pela iniciativa, li tudo o blog, parabéns mesmo. Fiz a celula, ficou boa, mas tenho uma dúvida. Vc já tentou faze lá seca, como na foto, e depois ela espandi, conforme é molhada, tenho interesse pois é facil para armazenar. aquilo envolto é tecido ? Bom , vou indo grande abraço, parabéns pelo blog, Civitella

Neco Torquato Villela disse...

olá Civitella,

Q bom q gostou do blog!
Nunca experimentei faze-las secas, assim como você descreve. Caso você consiga fazer algo do gênero, me dica como fez q coloco aqui no blog.

Inté!

Camila disse...

Vou fazer as células.
Obrigada pela dica.
Parabéns pelo blog,
Camila

Neco Torquato Villela disse...

Oi Camila,

Se tiver alguma dúvida é só perguntar!

Inté!

VALDIR disse...

Caro Neco olha artigo MARAVILHOSO, pois acaba com o monopolio destes caras que vendem estas celulas, poxa sem palavras.
mas tenho uma duvida: na dica 3 item D, o que é este composto organico comercial? misturando para cada 10Kg de composto orgânico, como assim, desculpe minha iguinorancia, pois assim como vc sou amante da natureza, me ajuda tá abraços do amigo Valdir.

Neco Torquato Villela disse...

Olá VALDIR,

Que bom que gostou desse artigo. Fico feliz!
Composto é materia orgânica que foi decomposta e reciclada para ser usado como fertilizante ou melhorador de solo. Você pode preparar em casa, o que leva cerca de 3 meses para ficar pronto, ou pode comprar em lojas que vendem produtos para jardinagem.

Inté!

Anônimo disse...

oi
gostei muito do seu artigo, e tenho uma sugestão, fiz e deu certo.
é só pegar rolinhos de papel higienico ( moro no interior, entao nao tem como recicla-los), encher com substrato e plantar as sementes, é pratico e nao custa nada.

Neco Torquato Villela disse...

Ôpa, obrigado pelos elogíos e pela dia!

Inté!

Christian Florian Göbel disse...

Opa, estou gostando bastante do seu blog. Já tentou usar a mucilagem de linhaça para substituir a gelatina? Acho que daria certo!

Neco Torquato Villela disse...

Olá Christian,

Nunca experimentei, mas penso que é uma boa opção também!

Se vc testar e funcionar, conta para gente aqui.

Inté!