10 de abril de 2009

EM-5

Bioestimulador para suas plantas


Postei anteriormente, em EM, sobre como produzir o EM-5. Após pesquisar mais sobre o assunto e ajuda de um amigo Filipino (Gil Carandang) descobri que, para produzir o EM-5, não bastava somente acrescentar Yakult ao EM-4 (como havia explicado no artigo sobre EM). Era necessário outro processo, bem simples porem, que explico a seguir.

O que é e como age:
EM-5 é um fermentado anaeróbico fitosanitário natural à base de EM-4, vinagre e álcool. Basicamente o EM-5 age aumentando, de maneira natural, a vitalidade e o sistema de defesa das plantas contra insetos nocivos e doenças, reforçando seu sistema imunológico.

EM-5 apresenta, alem dos microrganismos ativos, presentes no EM-4, ésteres insolúveis que dão vigor a planta, que adquire assim a força suficiente para poder superar enfermidades, resistir a pragas e parasitas e recuperar-se de qualquer outro fator de debilidade.

Ingredientes:
– 10% de EM-4;
– 10% de melaço ou caldo de cana;

– 10% de vinagre natural de maça;
– 10% de cachaça (ou outra bebida com teor alcoólico próximo de 50%);

– 60% de água da mina ou declorada.


Procedimentos:
1 – Se for usar melaço, misture água morna com o melaço até dissolve-lo completamente; aguarde a mistura esfriar antes de executar o passo “3”;
2 – Se for usar caldo de cana, basta misturar a água ao mesmo;
3 – Acrescente o vinagre, a cachaça e por ultimo o EM-4;
4 – Coloque a mistura em uma garrafa de plástico, coloque a tampa e aperte a garrafa para sair todo o ar que sobrou dentro da mesma (para que a fermentação seja anaeróbica), e só então apertar bem a tampa;
5 – Acondicione a garrafa em um local escuro, bem ventilado e ao abrigo da luz;
6 – Caso a garrafa se encha naturalmente de ar novamente, desrosqueie a tampa da mesma levemente, até sair todo o ar, aperte a garrafa novamente para retirar todo o ar e aperte novamente a tampa.

O EM-5 está pronto quando não houver mais produção de gás dentro da garrafa e quando se percebe um odor de estéres/alcoólico doce e agradável. Geralmente, para atingir esse estágio, levam-se de 2 a 4 semanas.

Acondicione a garrafa em local escuro, fresco e com temperatura agradável e constante (não guardar na geladeira) por até 3 meses.

Aplicação:
- EM-5 age a longo prazo e para se obter todos os seus benefícios deve-se aplica-lo com regularidade.

- Pulverizar nas folhas o EM-5 diluído em água de mina, ou declorada, na proporção de 1:500 ou 1:1000 imediatamente após a germinação da planta ou em culturas já estabelecidas, 1 vez por semana, no período da manhã ou após chover.

ATENÇÃO: Não usar o EM-5 numa concentração maior que as indicadas, principalmente na época de fortes secas, pois há prejuízo no crescimento e aparecimento de pontos amarelos nas folhas, devido apenas ao PH ácido, não significando presença de substâncias tóxicas

- Em caso de enfermidades: diariamente ou em dias alternados, pela manhã, até solucionar o problema.

- Caso tenha usado produtos pesticidas/fungicidas químicos, aguardas uma semana, aplicar o EM-4 e na próxima semana aplicar o EM-5.

Dicas:
- Pode-se continuar o uso do EM-4, nas regas, juntamente com o EM-5, via foliar, sem problemas;
- Em uma cultura, onde se aplica EM-4 e EM-5 desde a germinação da planta, a aplicação de EM-5 pode ser feita de duas em duas semanas ou mensalmente;
- Para obter um EM-5 com um espectro maior de ação, podem-se misturar a ele, depois de pronto, alho, cebola, folhas de nim, pimenta, etc; deixar curtir por uma semana e usar;

Fontes:
- Gil Carandang;
- Asian Pacific Natural Agriculture Network;

- Microorganisms for agriculture and environmental preservation; Higa, Teruo; P33-69, Non-bun Hyo;

- Organic Corner, Gil Carandang, Organic Matters magazine Vol. 2, Issue 3, No 4 and Vol 3, Issue 2, No 7

40 comentários:

Soror Lou disse...

Oi Neco!
Descobri seu blog agora e fiquei maravilhada com suas receitas. Nos próximos dias vou iniciar o processo de EM-4 e 5
Vim parar aqui porque estou querendo plantar araruta. Fico feliz de poder contar com suas informações.

Neco Torquato Villela disse...

Oi Soror Lou,
q bom q vc gostou, fico feliz por isso.
Vc já tem os rizomas de araruta?
Inté!

Soror Lou disse...

Oi Neco!
ainda não encontrei rizomas, tenho buscado. Vc pode me dizer como adquirir?
Soube maravilhas da araruta!
Abç

Neco Torquato Villela disse...

Feito!Qualquer dúvida com o EM, me diga, ok!?

Soror Lou disse...

Oi Neco!
vou aguardar junho para receber a araruta.
Olhe, no EM é fundamental colocar farinha de osso? É q não gosto de usar elementos animais, com exceção para o leite, seus derivados e casca de ovo.
Obrigada por sua assessoria!

Neco Torquato Villela disse...

Oi Soror Lou,
Vc esta falando do bokashi, certo? Pois o EM em sí não leva farinha de osso.
Se for do bokashi, vc pode substituir por outra fonte de fósforo como fosfato de araxa ou de arad.

Inté!

Soror Lou disse...

Oi Neco!
1.Aguardo junho chegar por causa da Araruta. Procurei na internet se encontrava um lugar pra comprar a farinha, enquanto aguardo os rizomas apra planatar e colher. Gostaraia de começar a usar. Vc pode me dizer onde comprar? Aqui no recife, nem sinal.
2.Pra fazer o bokashi é preciso colocar o arroz em lugar seco?
3.Nesta época chove bastante no nordeste e tenho tirado muitos quilos de caramujo africano do quintal. Vc sabe de algo q os impeça, além de sal e cal?
Abraço,
Lourdes

Neco Torquato Villela disse...

Oi Soror Lou,
- Infelizmente não posso te indicar onde comprar polvilho de araruta. Comecei a cultivar araruta pela dificuldade de achar o polvilho original. Os que achei no mercado são todos falsificações!;
- Quanto ao bokashi, vc deve colocar o arroz cozido um pouco enterrado na terra, sob as folhas caidas da mata;
- Já quanto aos caramujos, eu costumo colocar uma barreira de palha de arroz, de uns 30 cm de largura por 5 de altura, em volta dos canteiros. Isso funciona com lesmas pois elas não conseguem "andar" muito bem sobre a palha. Talvez funcione com os caramujos!
Inté!

JOSE LUIZ disse...

Neco, sou fã de teu blog e dicas! Tanto que já publiquei no meu aquela matéria sobre bokashi do blog das pimentas onde tem dica sua, respeitando a autoria, e colocando links. Colocarei no artigo já publicado no meu, o link para esta atualização do preparo do EM. Parabéns! Abraços. Daqui pra frente depois de ler vc deleta e só publica o acima! Aproveito para sugerir a você mudar esse template para um interessante que achei no blogger e fiz prum amigo meu. Inicialmente ele usou este mesmo teu, só que fica meio espremido os textos com fotos. O outro ocupa toda a tela, fica com aspecto mais profissional, e pra evitar essa sequência de postagem verticais quilometricas, no layout selecionar apenas um artigo na pagina inicial. Assim os demais aparecerão em postagens mais antigas com links laterais normais. Veja depois o www.bussolaliteraria.blogspot.com que fiz pro Dilson neste final de semana...se gostar e quiser mudar o teu, passo mais dicas!

flavio disse...

Oi Neco,
ja estou na minha segunda "safra" de EM4.Desta vez ate tirei algumas fotos para um futuro tutorial.Andei ate passando em meus gatos que estavam com problemas de fungos nos pelos e foi otimo.Estou com uma duvida?Estou usando o oleo de neem, sera que tem slgum problema de usar o mesmo pulverizador, pois ja que o oleo de neem combate alguns fungos,sera que ele naõ ira combater os fungos beneficos do EM4?SE puder me ajudar lhe serei muito grato,"de novo".Abração,
Flavio

Neco Torquato Villela disse...

Oi Flávio,

Que bom q vc está na 2a safra!
Sei que é bom vc colocar EM na água dos animais para ele beberem e para banhos também.
Sobre o óleo de neem, no caso do EM5 sei que se pode misturar folhas de neem ao preparado para potencializar o produto final. Já quanto ao EM4, penso que negócio é fazer teste para ver o que vai dar: se o odor característico mudar e o ph (+ou- 3,5 a 4) alterar demais, pode ser que tenha problemas, ok?

Inté!

aloisio disse...

Adorei o teu blog. Parabéns

Ecodea disse...

Olá Neco, tudo bem?
Tem um selo para vc lá no meu blog: http://apressadonaocomecru.blogspot.com/2009/08/o-primeiro-selinho.html
Abraçao,
Andrea

MARCO disse...

olá Neco! é otimo esse seu blog. estou aprendendo bastante,sou pequeno produtor de hotaliças aqui em Dourados MS E estou subtituindo o comvencional pelo organico,gostaria de saber se posso usar esteco de galinha para fazer o bokashi,e tenho bastante problemas com as traças no repolho;
fico feiz se puder me dar algumas dicas. O BRIGADO

Neco Torquato Villela disse...

Oi Marco,

Também produzo hortaliças aqui em casa. Q bom q o blog está sendo útil para vc.
Vc pode usar o bokashi pronto, ou o EM-4, acelerar a compostagem do esterco de galinha e melhorar o composto final.
Qto a traça do repolho, ela é uma lagartinha, certo? Eu não tenho problema com traça de repolho aqui mais tenho com lagarta e para elas eu uso o Dipel que faz o controle biológico de lagartas. Outra opção é usar um nosódio (homeopatia) da traça.

Inté!

marco disse...

obrigado Neco.vou fazer isto!

Mateus disse...

Neco,
Para a produção de leguminosa, pode ser misturado para tratar a semente: inoculante + em4 + em5 + bio fertilizante + trichodermma.

Esse seria a melhor mistura? Tem alguma sugestão?

Att,

Mateus

Neco Torquato Villela disse...

Olá Mateus,

Penso q, no caso de inoculação, não seja necessário o EM5 na mistura, já que ele é indicado para uso foliar e a mistura ficaria muito ácida.
Só o uso de inoculante + em4 + bio fertilizante + trichodermma ficará uma mistura excelente.

Inté!

Taska disse...

Ola Neco, estava pesquisando sobre fertilizantes para orquideas e localizei seu site nos resultados, parabens, gostei e acho que as informãções seram de muita utilidade. E tambem nas pesquisas achei algo sobre Lesmas e Caramujos, tem varias dicas juntas tambem, espero que seja util a Soror Lou.
https://www.pimentas.org/forum/viewtopic.php?f=13&t=246&start=0&sid=d459d9a51a768edc87153342f41a658e

Elena disse...

Oi Neco,
Achei muito bom o seu blog. Estava atrás de produtos com a tecnologia EM e não estava encontrando. Aí o seu site me ensinou a fazer. Vou fazer a tentativa esse fim de semama. Gostaria de deixar uma dica para se livrar dos fungos. Para prevenir é só forrar com uma camada de feno. Mantém o solo úmido no inverno seco, não deixa encharcar no verão chuvoso e previne contra quedas bruscas de temperatura. Se o fungo apareceu, compre sabão de coco em barra. Compre daquela linha orgânica e que não agride a natureza (não me lembro o nome da marca agora). Faz a solução com ele e borrife nas plantas. Depois de um tempo é so jogar bastante água. Afasta pragas, mata fungos e não mata os microorganismos porque é biodegradável. Para fazer a solução, ensaboe as mãos e enxágue coletando a água do enxágue em um balde. Um beijão e parabéns pelo blog! Elena

Neco Torquato Villela disse...

Oi Elena,

Q bom q achou o que vc procurava. Fico feliz.
Se for fazer o EM, só uma dica: nesses dias muito úmidos, de muita chuva, é bom esperar uma estiagem de, pelo menos, 3 dias para fazer o EM, ok!?
Obrigado pela sua dica também! é de grande valia!
Inté!

moura disse...

Bom dia Neco,
veja se pode me ajudar.
Confundi o EM4 com o EM 5 e coloquei este último sem diluir direto sobre minhas plantas.
Vai fazer mal a elas?
Tem como reverter o processo, lavando-as bem, por exemplo?
Obrigado
Abraço
Paulo

Neco Torquato Villela disse...

Olá Moura,

Vixi! Penso que uma possibilidade é essa mesmo que vc sugeriu. No mais, é aguardar para ver se as plantas vão resistir bem à acidez excessiva do EM5.

Boa sorte e inté!

Senorcoconut disse...

Muito obrigado por compartilhar essas receitas
sem duvida abriu meus olhos para o tratar do solo com próbioticos

Neco Torquato Villela disse...

Opá! Q bom que vc gostou!

carla disse...

Olá Neco gostei mundo do seu blog, não entendo muito de blogs, kkkkkk... Mas estou querendo iniciar uma horta orgânica de apartamento e na busca de substratos mais leves, achei suas dicas de germinação de sementes adorei e vou começar a produzir, gostaria de trocar mais ideias com vc sobre esse assunto. carla

Neco Torquato Villela disse...

Olá Carla,

Que bom q vc gostou, fico feliz!
Posso te ajudar com algumas dicas, além das dicas do blog. Me passe seu email por aqui q vamos conversando.

Inté!

Luciete Araujo disse...

Olá Neco, Tudo bem com você. Trabalho com Agricultura Orgânica e gostaria de trocar informações com você. Muito me agradaria poder conversar por e-mail com você. lluciete-aaraujo@gmail.com. Abraços. Lu

Neco Torquato Villela disse...

Olá Luciete,

Tentei contato com vc, pelo email que informou, mas o Google diz que o email não existe. Pode confirmar o email novamente?

Inté!

Back disse...

Olá! Neco, Vou me intrometer no seu espaço, pra uma pequena correção.
Onde vc diz:

ATENÇÃO: Não usar o EM-5 numa concentração menor que as indicadas, principalmente na época de fortes secas, pois há prejuízo no crescimento e aparecimento de pontos amarelos nas folhas, devido apenas ao PH ácido, não significando presença de substâncias tóxicas..
Na verdade seria ('Não usar concentração "maior"..) Menor pode usar sem medo.
Não deu pra eu ver no blog, o processo para se chegar ao EM4.
-Mas eu faço a coleta do material com arroz cozido, e todo o processo, que vc descreve, consigo o EM.
-Apartir do EM usando 100ML deste + 100ML de melado + agua pra completar 1L, eu consigo o EM2.
-E repetindo o processo com o EM2, chego ao EM3. E assim por diante até chegar ao EM5. Pode-se fazer EM10 ou mais, só não fiz mais que 8, pois resolvi recomeçar com material coletado de outra area supostamente melhor. E com essa ja estou no EM5.
-

Neco Torquato Villela disse...

Olá Black,

Valeu pela dica! Já corrigi. Muitas vezes, na correria de escrever algo, mudados algumas palavras e o sentido final da sentença fica completamente errado.

Valeu mesmo e inté!

Luciene F G disse...

Mais um ensino valioso.Saberia me dizer se eu poderia ao invés de ficar apertando a garrafa para a extração do ar, usar um air lock, assim facilitaria pir ter certeza de que sairia tido o ar e no tempo certo, eu não teria de ficar vigiando isso sempre. Abraço.

Neco Torquato Villela disse...

Luciene,

Você precisa retirar todo o ar, para que a fermentação se anaeróbica. Se vc tirar o ar e colocar um airlock, vai facilitar as coisas.

Grato pela ajuda e inté!

Jp505 disse...

Olá Neco! primeiramente fico feliz em ver que não sou o único que gosta de áreas tão distintas.
tive alguns problemas com a coleta de fungos e talvez não tenha achado "um substituto genérico" tao bom quanto imagino mas em questão de aparência e cheiro parece estar indo tudo certo na minha tentativa embora não sei se vai ter tanta serventia para oque quero mas enfim... expliquei melhor a situação no forum pimentas e acho que ficaria muito grande para colocar na integra aqui, pode dar uma olhada la?

Jp505 disse...

o link não ficou visível, ao menos não para mim então para confirmar, aqui o post que fiz no tópico sobre isso

https://www.pimentas.org/forum/viewtopic.php?f=4&t=4960&p=451473#p451473

Neco Torquato Villela disse...

Olá Jp505,

Vc está fazendo a coleta na mata? Uma mata bem preservada e com boas condições de matéria orgânica no solo? Cobrir o arroz com o papel filme leva a captura somente de microrganismos anaeróbicos. O ideal é não usar o papel filme, mas sim outro meio para cobrir, que permita a entrada de ar no arroz. Outra coisa, se o tempo estiver muito úmido, muita chuva, devemos aguardar, pelo menos, 3 dias após as chuvas cessarem, para efetuarmos a coleta em mata. Se após as chuvas, estiver muito quente, diminua o tempo de coleta para 3 ou 4 dias. Ou seja, com tempo quente e úmido, diminuir o tempo e coleta. Mas, isso vai depender de região para região. Vc é que tem que fazer os teste, e ver qual o melhor momento de colheita dos microrganismos.

Inté!

JP505 disse...

Obrigado por responder, Neco

Infelizmente por aqui não da para fazer coleta em um ambiente assim mas o coloquei no ambiente mais proximo possivel disso que pude achar, com boa umidade plantas em desenvolvimento e boa quantidade de materia organica misturada ao solo. O papel filme estava bem perfurado então não tinha problema de nao haver contato com o ambiente, so nao iria permitir coisas muito maiores entrarem no arroz (ao menos em teoria ja que na primeira tentativa se formou uma colonia de larvas e na segunda uma colonia de algum desses insetos anelares com umas 8 pernas e bem pequenos comuns em terra). Ja sobre o tempo esperei nos dois casos 8 dias e ao que pude ver nos dois casos o arroz apodreceu, com sinais de fermentação leve mas sinal algum de fungos como deveria ser

Neco Torquato Villela disse...

JP505,

Vc pode fazer o seguinte, ao invés de levar o arroz cozido para uma mata, vc pode recolher uma camada de serrapilheira, juntamente com, mais ou menos, 10 cm de solo da mata que vc escolheu para coletar os microrganismos, e levar esta serrapilheira+solo para casa. Em sua casa, coloque o arroz cozido em uma vasilha e cubra com o material colhido na floresta. Aguarde alguns dias e veja se colonizou o arroz.

Inté!

Adry Agust disse...

Oi amigo eu misturei em umas das minhas garrafas a farinha de osso .Estou usando em minhas orquideas e em menos de 1 mes elas estao saindo hastes florais.vou testa em outras plantas apois periodo de chuva olha meu canal do youtube. (Como se faz artesanato e reciclagem)

Neco Torquato Villela disse...

Fantástico Adry!

Grato pela dica!

Já visitando seu canal...

Inté